domingo, janeiro 17, 2010

A máquina do mundo



Só sei dizer que a conclusão a qual cheguei hoje, não me agradou.
No fim das contas, apesar de todo 'não querer', de me privar, de fugir de qualquer sentimento, a luta contra o coração é sempre em vão... e o sofrimento é – indiferente do processo, de como se deu – O MESMO.
Porque no término de tudo, a gente, por mais que não queira, sempre descobre que NÃO ESTÁ PRONTO! Sempre percebe que os erros SÃO OS MESMOS, porém, revestidos de uma nova roupagem. E é, em suma, desprezível perceber que a história SE REPETE... ou que, por mais uma vez – e acredito eu, que por mais 'infinitas futuras vezes' – fechar os olhos e sonhar foi a escolha INCORRETA. Entretanto, a mais COMUM em minha vida.
Luto, constantemente, com esta maldita transição entre a INFÂNCIA e a fase ADULTA... Mas não consigo desassociá-las, segmentá-las. É como o jornalismo e a literatura, se transpassam e às vezes, me perco nesta ausência de fronteiras... sem saber o que é real e o que não é!
Tão difícil enfrentar as responsabilidades, tão complicado perder algo e não poder – como uma criança – chorar e transparecer ao mundo quanta dor se sente...
… Tão desgostoso saber que: uma utopia a DOIS só é vislumbrada por UM!...
“A treva mais estrita já pousara
sobre a estrada de Minas, pedregosa,
e a máquina do mundo, repelida,
se foi miudamente recompondo,
enquanto eu, avaliando o que perdera,
seguia vagaroso, de mãos pensas.”

7 comentários:

Felipe Braga disse...

"Tão desgostoso saber que: uma utopia a DOIS só é vislumbrada por UM!..."

Pois é. Tenho convivido muito com a indiferença. E a cada vez que ela surge, tira um pedaço de mim. Um dia a indiferença deste mundo vai me matar, vai me fazer morrer!

Mas, por incrível que pareça, os erros se repetem e tudo volta ao seu lugar. E esperamos - conscientes? - a próxima vez, em meio ao que nos faz mal. E é impressionante: Damos risada no final! Já reparou nisso? E a pergunta: De onde vem a força para rir: Da solidão ou do orgulho?

É duro. Estou me tornando um eremita, Carol. rs

Me senti refletido diversas vezes no teu texto, Carol. A escrita aproxima as pessoas, não tenho dúvidas.
Você demora tanto a postar! rs É uma pena, acho que você poderia me acrescentar mais.

Beijos.

Aninha disse...

O importante é não perder a nossa essencia, é querer continuar tentado apesar dos erros, msm se eles forem muitos... Msm se se repetirem...

Pq no fundo td é uma busca
pela felicidade!

E merecemos nos dar a chance de ser felizes!

Bjs

Borsari disse...

Pelo simples fato de estarmos vivos...corremos riscos. De amar e sofrer, de amar e não ser correspondido, de amar e até mesmo se arrepender. A vida é assim, às vezes nos olha com carinho, de repente nos ignora como vazio. É fato, o mundo não muda ou pára, afim de nos esperarmos, ou seja, temos de mover a rocha que há entre nós para superarmos este desafio. Então desvie os pensamentos até que seja capaz de mudá-los, pois na verdade a mudança necessária é a nossa, pois os demais vão continuar a viver assim...
E esta "utopia a DOIS só é vislumbrada por UM!..." deixará de existir, quando houver o amor verdadeiro...um dia ele vem, se não vir faremos dele uma completa ilusão!! faz parte desta utopia que é viver feliz para sempre.

Beijos amiga. Quem sabe um dia nossas palavras sejam capazes de mudar, pelo menos, a nossa forma poética e algumas vezes cruel de ver o mundo.

Raquel - vulgo, Maria Louca..rs

Edna Lima disse...

Se prepare pra se tornar uma idosa com emoções novas.
E estes erros continuarão acontecer, e dói , mas é lindo , é bom viverrrrrr. Grande bjs garota. Edna

Milla disse...

nós sempre sabemos que contra o coração não dá para lutar, mas ainda assim insistimos. por maior que seja a paixão queremos resistir...mas quem sabe em uma dessas nós conseguimos superar aqueles amores que nós sabem que nos fara mal.

beijos

Cristiane Neves disse...

Nossa, Carol! "… Tão desgostoso saber que: uma utopia a DOIS só é vislumbrada por UM!..." Essa me matou! Ou deu vontade de matar-me, não sei... Mais uma vez adorei o texto. Tâo pessimista como todos os que eu escrevo, mas mais maravilhoso, mais cheio de sentimentos do que jamais serei capaz.Continuo visitando este blog, pois em seus textos, muitas vezes me encontro.

Bjs (tá, mando um abraço tb),

Cris

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Mantenha sim esse elo entre a ser juvenil e adulta. Assim brincará mais, sonhaará mais, mas sempre com os pés no chão. Realmente a luta contra o coração é quase sempre vã e doi sim ver que aqulea utopía a dois, só foi vivida por um.Mas a gente não para... porque não morreu.Adorei seu texto.Parabéns.Beijos

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates