domingo, abril 11, 2010

A um Ausente



“Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.”
E lá se vai mais um 'dia nove'!
Uma situação irreversível, onde meses e meses que passam como o folhear de um livro - e não traz nas páginas seguintes um sentimento aquém ao proporcionado pelos escritos já lidos - me consomem.
Esperança taciturna! Afinal, não tenho mais a dádiva de tê-lo aqui, ao meu lado, e não sei se a morte é o fim ou começo.
“Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enloqueceu, enloquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?
Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.”
Foi assim, de repente, sem o 'adeus' nas mãos, sem a tristeza nos lábios, como alguém que sai e não se despede pela certeza da volta!
Será que você confiava em um retorno ou em nosso reencontro?
Não sei...
Sei que sinto falta de alguém assim, como você. E que me perdoem os demais amigos, mas você é insubstituível.
De gestos e atitudes simples, de sua timidez, das implicâncias comigo, dos abraços apertados, das danças 'malucas' que inventava e das inúmeras gargalhadas... SAUDADES!
“Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.”
Porque eu juro a você que se estivesse naquele dia ao seu lado, não lhe deixaria partir, nem permitiria que sofrimento algum lhe vitimasse... Pois um amigo de verdade sofre mais quando a dor é do outro... de alguém que se ama tanto!

13 comentários:

Edna Lima disse...

Saudade! Ruim... Né?
Mas o amor próprio é a alma da felicidade.
Saudades garota. Grande bj . Edna

Bela disse...

Saudade é prova de que valeu a pena!!!viva intensamente, pois sempre teremos saudades dos bons momentos!adorei a forma como vc escreve!

virei seguidora!

bjs boa semana

Felipe Braga disse...

Oh, Carol...
Muitas vezes, quando sofremos, acreditamos que somos injustiçados. Não queremos entender o outro lado. Não é egoísmo; é instinto.
Não gosto de te ver assim. Saudade dói. Mas não há a esperança do reencontro? Já acabou a esperança? Tenho certeza que não. Agarra-te a essa esperança, Carol.
Estou contigo.

Beijos.

Fabi disse...

eita saudade... sempre ela que nos faz chorar, amar, quer estar perto, sofrer...
hunf!!

Milla disse...

Essa saudade que dói mais que tudo...Ela só parece insubstituível, mas depois de um tempo as coisas voltam a se encaixar normalmente. A vida continua sempre!

beijos

Érica disse...

A gente as vezes não entende as razões do outro. Mas, acontece de ser assim, de repente... Motivo sempre é um bom motivo. E nada mais. Tudo que não foi efêmero volta a ser, e a saudade é só uma pausa.


Beeeijos

Marina disse...

Seus textos são impecáveis, Kerol's!

Sei de quem vc está falando, sei que ele partiu de uma forma muito cruel e q a superação pra vc é muito difícil. Quando se ama, realmente, a dor é inevitável.

Força, amiga.

Te amo!

André Lopes Nunes disse...

Se a gente sente saudade é poque valeu a pena!! E pode valer a pena esperar também! Adorei o post... Bju!!

Wevertton disse...

Oi amiga, você sumiu do meu blog hein! x_x

Beijos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Hoje a minha visita é para agradecer.
Nestes dias que celebro a minha vida,
tenho certeza de que a mesma
não teria o brilho de hoje,
se não fossem os amigos e amigas
que a tornam valiosa
mesmo que distantes.

A ti gostaria de dizer obrigado:
Obrigado pelas visitas ao meu blog.
Obrigado pelas palavras semeadas.
Obrigado por sentir os meus textos
com os olhos do coração.

Sou eternamente grato a vida,
por mais estes presentes
que de modo gentil
deixas em minha vida,
fazendo de mim uma pessoa melhor,
e pleno de felicidade.

Lindos dias de vida para ti.

S.C. Ellen disse...

Por mais que doa tal saudade, impossível dizer que ela não é boa. Saudade dói, mas é suficiente para se sentir amado.

Leo Lemos... disse...

:D saudade... pior ainda quando se está tão perto e, ainda assim, longe...

Romântico - não se esqueça de mim.
estoupensandomedespindodepreconceitos.blogspot.com/2010/05/romantico-nao-se-esqueca-de-mim.html
Pela primeira vez nessa pequena vidinha de pouco mais de doze dias que somos depois de ver você no meio de todo o mundo; pela primeira vez depois de PRA VOCÊ eu dizer meu sim e tudo mais que veio depois; pela primeira vez depois de nós eu tive medo de amar sozinho, de sofrer se me deixares, de nós dois, enfim!
Faz parte do vício chamado amor, pelo menos o vício amor nas veias desse bicho chamado Leo; mas faz parte do vício amor, definitivamente, diria o Dr. Mutante. E deve ser mesmo o eterno castigo de, por medo, pôr os pés pelas mãos na história de nós dois e repetir todos os fracassos amorosos do passado... Já fiz assim com você por causa da solidão do quinto dia, mas assim não faria na ameaça de não me teres em dia desses? Heim?
Pois antes que eu morra, de amor ou de saudade, por favor, não se esqueça de mim...

Bah disse...

lindo seu blog como sempre, saudades de passar por aqui...
estou voltando aos poucos...

ah, faz um favor? vota em mim no blog http://www.papodemulher.net/ valeu e até mais...

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates