sábado, junho 13, 2009

O tempo passa? Não passa



“ O tempo nos aproxima
cada vez mais, nos reduz
a um só verso e uma rima
de mãos e olhos, na luz.”
Recordo-me, minuciosamente, de cada instante que passamos juntos.
Parece que o tempo torna-se flexível diante das lembranças.
Seu olhar transbordava felicidade ao poder voltar à infância com minhas manias de menina. Seu sorriso sincero era o melhor remédio para minhas inquietações. Seu abraço me protegia, era sinônimo de segurança, meu refúgio. Suas mãos, que acariciavam meu rosto, acalentavam minha alma...
Por diversas vezes sua voz foi o bastante para que eu pudesse dormir em paz. Suas histórias, engraçadas, eram suficientes para que eu pudesse me esquecer de qualquer sofrimento. Seu jeitinho, descontraído, cheio de gírias, me encantava como se o mundo fosse só nosso...
Éramos assim...
Nosso amor?
Foi findo...
“ Não há tempo consumido
nem tempo a economizar.
O tempo é todo vestido
de amor e tempo de amar.”
Hoje nossos sentimentos amadureceram. Nossos caminhos seguiram sentidos opostos. Somos pessoas diferentes. Aquele amor, que existia lá atrás, não pertence mais à quem nos tornamos...
O amor permanece...
… apenas nas páginas viradas!

13 comentários:

Isabel disse...

Linnnndo...
O importante é reconhecer q vcs mudaram...
Bjs.

Sérgio disse...

As paginas viradas podem ser relidas e atraves dessas recordacoes demonstrarem q mesmo com as mudanças o amor NÃO é "findo".

Se descreveu os detalhes c tanto encantamento, é pq o amor ainda se faz presente. Assim espero.

LINDA A MANEIRA COMO DESCREVEU momentos MARAVILHOSOS.

Allex disse...

Sempre que volto ao seu blog admiro mais Drummond.N sabia q ele tinha poemas tão bons.Sem falar q suas resenhas são ainda melhores.

N me canso de dizer q vc se expressa mto bem. Escreve de maneira brilhante.

Abração.

Ademerson Novais disse...

Me disseram uma vez que ao ler-se algo e se nesse momentos nos sentirmos esvair, sair da gente...é por que estamos sendo as palavras..estamos sendo as letras...não lendo-as..mais vivendo-as..sendo-as....a cada texto que lia me unia as linhas...a cada palavra que absorvia me via ali de mãos dadas...caminhando lado a lado...."escreves com a caneta da alma"..e isso para poucos.....

Parabens!!!!!!

Fico feliz de ter caido aqui...

Ademerson Novais de Andrade

- Łαlóòu ૐ disse...

passei para diser q estou seguindoo
*-*

Odir disse...

Carol, o importante é vc saber conviver c essas lembranças.

Beijo, minha Jornalista preferida e fã ENLOUQUECIDA de HUGO PENA E GABRIEL. kkkkk... (N podia perde a oportunidade de te zuar!)hehehehehe.

Fada Lella disse...

Gostei daqui. Palavras perfeitas. Beijos!

Felipe Braga disse...

Adorei o texto, Carolina! Teu blog é muito legal, vou segui-lo. Seremos companheiros de profissão, porém ainda estou fazendo curso pré-vestibular. rs
Parabéns.
Beijos.

deleyga disse...

O tempo sabe ser bem cruel, às vezes... =/

beijos querida

;*

Bruna Berri disse...

O problema é a dor causada quando relemos as páginas, a vontade de voltar. E não podemos, nunca podemos.

Aninha disse...

LIndo e triste ao mesmo tempo! Rsss
Mas o legal e que vc não escreveu tristeza, nao demonstrou tristeza, simplesmente colocou a realidade tal como ela é! (eu q sou sentimental demais, e tenho um ld q não gosto de amores que chegam ao fim, rsss)

Muito obrigada por todos os comentários no meu blog!!!

Bjks

Hosana Lemos disse...

Simplesmente lindo, indescritivelmente belo!
até parece que também escreveu um pouco de mim!

Adorei o texto, voltarei!
=*

Oi disse...

O amor permanece...
… apenas nas páginas viradas!

IIIii bola para frente né amiga?

Isso ai,Te amo muito!

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates