domingo, maio 17, 2009

Enigma



Mais 24h que se vão, assim como o vento leva uma folha que cai da árvore no outono! Só que estas '24 horas' as quais me refiro, foram mais intensas, mais subjetivas! Reencontros, recordações e até revelações! Os velhos amigos, mas nunca amigos velhos, estavam, como há muito não acontecia, reunidos.
Uns já são pais, outros são profissionais bem sucedidos, alguns renunciaram a carreira dos sonhos para investir em ideais mais 'lucrativos'… Todavia, não poderiam faltar aqueles que continuam do mesmo jeitinho, apesar de uns fios a mais de cabelos brancos!
São tantas histórias para contar que a impressão que temos é que o tempo não quer colaborar com aquele momento que, durante as dificuldades dos dias árduos de convivência diária, parecia que jamais se concretizaria. Além das narrativas particulares, o que não faltavam eram os casos de quando estivemos ali, durante anos, lado a lado, uns dos outros.
Achávamos tudo tão difícil, tão monótono, tão banal, que só depois, depois da dor da ausência, da saudade que insistia em nos perseguir, da realidade atual, das 'relevantes' dificuldades, que percebemos que éramos, sim, felizes e não sabíamos!
Passado este dia maravilhoso, comecei a refletir sobre tudo isso... Sobre a nossa alma, sobre a subjetividade humana. É impressionante a capacidade que temos de analisar os acontecimentos extremamente simples de maneira complexa. Às vezes temos de um tudo para sermos felizes e insistimos na busca pelo sofrimento. Todos nós temos uma dualidade em nossa essência. Contudo, cabe a cada um saber qual desses princípios iremos alimentar. A partir de agora, resolvi que este meu embate estabelecido entre problema e solução se tornará mais ameno, pois decidi alimentar apenas aquilo que me faz bem. Afinal, aprendi que a gente só deve sofrer por aquilo que vale a pena.
“Faço e ninguém me responde
esta perguntinha à-toa:
Como pode o peixe vivo
morrer dentro da Lagoa?”

7 comentários:

Marina disse...

Quem roubou a minha SUBJETIVIDADE? rsrsrsr...

agooora entendi o pq da frase do orkut!

é verdade, Kerol's, sofrer por akilo q não vale a pena é como nos destruir sem motivo, sei lá como definir.

E sobre reencontros como esse, eu tbm adoooro! tem um tempinho jah q isso não acontece comigo, mas keria mto poder passar mais noites ao lado dos meus amigos da faculdade. Qta saudade.

BjO!

. disse...

Frase da vida: 'éramos felizes e não sabíamos.'
auiheioauheiouhaeoiuhae
todo mundo olha pra trás e diz isso um dia. e todos os que dizem isso na verdade foram felizes a vida toda, mas só percebem no final. Acho que não se pode dizer o que é viver certo ou errado. fazer escolhas certas ou erradas e acabar sofrendo por coisas sem motivos. isso seeempre vai acontecer com a gente, porque não sabemos o que é certo ou errado nessa vida. Não temos mais nenhuma pra comparar nossos erros.

Adoro seu bloog. Voce as vezes se questiona de coisas parecidas com minhas dúvidas diárias da vida. hahahahahaha

Um beeijãão !

Miki :D disse...

eu adorei, chorei *-*, sou sensivel, mas, o que mais me tocou foi “Faço e ninguém me responde
esta perguntinha à-toa:
Como pode o peixe vivo
morrer dentro da Lagoa?”
é lindo, ensina mto mais do que as palavras

Marina disse...

quero atualizações. já, agora. ahahahaha...

BjO!

KeLLy ViAnA disse...

amei!*

as pessoas mudam tanto quando envelhecem,até o carater...isso é um pouco dificil de entender!

bjOO!

Aninha disse...

Que inveja desse reencontro, rsss!
È muito bom, né??
Meus amigos sempre combinam de se reencontrar e nunca dá certo, então eu tenho ido a casa de um por um, rsss!
Já q não da p reuni-los tds de uma vez, pelo menos revejo-os aos pouquinho...


Bjokas

Aninha disse...

Que delícia isso! Poder reunir os amigos...
Tenho tentado em vão, rsss...

Mas mais do q o fato em si, a forma como descreveste tal episódio... MARA

Bjokas

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates